quarta-feira, 9 de novembro de 2016


REORGANIZAÇÃO DO ENSINO MÉDIO


Meus amigos, está em tramitação neste Congresso Nacional a Medida Provisória nº 746, que busca reorganizar o ensino médio no país.

Há muito o modelo brasileiro de educação média está ultrapassado e o resultado disso é o desinteresse dos nossos estudantes e seu fraco desempenho tanto nas avaliações nacionais quanto nas internacionais.


“A reforma do ensino médio é urgente. É preciso dar um novo direcionamento a essa etapa tão importante da formação dos nossos jovens cidadãos para seu ingresso no mundo do trabalho e na vida adulta.”

Excesso de disciplinas, carga horária incompatível para desenvolver tantos conteúdos, não permitindo que o aluno tenha ou uma formação técnica aprofundada ou uma preparação adequada para o vestibular, pois há um descompasso entre o que é ensinado na escola e o mundo real dos jovens – este é o retrato do nosso atual ensino médio.

Segundo dados da Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílio (PNAD), de 2014, apenas 55% dos jovens entre 15 e 17 anos, faixa etária ideal para cursar o ensino médio, frequentam este nível de ensino. Dezesseis por cento dos jovens nessa idade, ou 1,7 milhões de jovens, estão fora da escola.

Temos a chance agora, por meio da apreciação desta medida provisória, de começarmos a mudar esse cenário desalentador especialmente para os nossos jovens.

O modelo proposto pelo Ministério da Educação, em linhas gerais, visa flexibilizar o currículo por meio da criação de itinerários formativos específicos, com base em quatro grandes áreas do conhecimento – linguagens, matemática, ciência da natureza e ciências humanas e na formação técnica e profissional. Isso possibilitará ao aluno preparar-se melhor para o percurso formativo que seguirá na educação superior e, caso assim deseje, também poderá torná-lo apto a iniciar-se numa profissão já na conclusão do ensino médio.

O principal avanço da medida é a ampliação da carga horária, das atuais oitocentas horas para 1.400 horas anuais, especialmente pela possibilidade de criar espaço para que o aluno se engaje em novas disciplinas e projetos, abrindo um leque de opções que torna muito mais instigante a transição do ensino médio para a educação superior.

Outra grande inovação da proposta é a possibilidade de organização do ensino médio em módulos, com a adoção do sistema de créditos ou disciplinas com terminalidade específica. Dessa forma, o aluno terá mais autonomia para conduzir seu percurso escolar e poderá avançar nos estudos em determinada área do conhecimento independente de sua aprovação em outras.

Meus amigos, a reforma do ensino médio é urgente e exige que nos debrucemos com afinco sobre ela. É passada a hora de darmos um novo direcionamento a essa etapa tão importante da formação dos nossos jovens cidadãos, de fechamento de um ciclo para ingresso no mundo do trabalho e na vida adulta.

É isso que propõe a MP nº 746: um modelo flexível, que respeite a individualidade dos alunos e que proporcione aos nossos jovens aprendizados que sejam realmente úteis em suas vidas cotidiana e profissional, em vez de afastá-los dos bancos escolares como acontece hoje.


Por: Antonio Bulhões
Deputado Federal / PRB-SP



Nenhum comentário:

Postar um comentário