domingo, 8 de maio de 2016

DIA DAS MÃES

Meus amigos, nunca é demais prestar homenagem às mulheres que são mães.

A concepção de uma nova vida é o fato mais grandioso do qual pode participar um ser humano, e o sentido último da maternidade está além de nossa compreensão, pois é fruto de uma doação divina, única e cheia de mistério.


“Quando vemos o rosto iluminado de uma jovem mãe embalando seu filho, readquirimos a confiança na possibilidade de que a humanidade possa trilhar o caminho do entendimento, da harmonia e da compreensão.”

Por mais que tentemos, nunca seremos capazes de esgotar, com palavras, o sentido último da maternidade, o vínculo profundo, o compromisso indissolúvel, a abnegação que pode chegar ao gesto extremo da doação da própria vida.

Não há ligação sentimental mais profunda do que aquela que une mãe e filhos. Em todos os tempos, nos relatos de todos os povos, encontramos sempre a confirmação dessa verdade universal. Variam os hábitos, os códigos, os rituais, os nomes que se dão às coisas, mas esse sentimento permanece inalterado.

O papel dos pais varia, o comportamento dos irmãos é imprevisível, os contratos sociais se alteram com o tempo, mas a doação das mães está sempre presente, como se fosse um valor universal, atrelado à constituição mais íntima de cada ser humano.

Nesse sentido, a homenagem que prestamos às mães é sempre a atualização de um sentimento de confiança que expressa o que há de melhor na humanidade. A dedicação das mães a seus filhos nos lembra que a solidariedade é possível, que ela é verdadeiramente parte de nossa constituição, que o egoísmo e a agressividade não são as únicas possibilidades de relacionamento entre as pessoas.

Quando vemos o rosto iluminado de uma jovem mãe embalando seu filho, readquirimos a confiança na possibilidade de que a humanidade possa trilhar o caminho do entendimento, da harmonia e da compreensão.

Sim, porque esse vínculo de amor que se cria no colo da mãe é o primeiro e mais importante relacionamento do ser humano que chega ao mundo. É através dele, inclusive, que se formam as bases da linguagem que orientará nossa percepção e nossa interpretação do mundo.

Se somos concebidos, gestados e amamentados sob essa aura de unificação absoluta, então há esperança de que o amor prevaleça sobre a guerra e a compreensão mútua promova o entendimento entre os povos.

Saudemos, então, mais uma vez, o Dia das Mães,  celebrando uma data que nos convida a lembrar o sentimento de amor que está na origem de nossas vidas e que é o grande alimento do espírito em busca de paz e harmonia.

No respeito e na gratidão que devotamos a nossas mães está a base da formação de nosso caráter. É com elas que aprendemos, pela primeira vez, o sentido de pertencer à espécie humana.

Por tudo isso, registro mais uma vez minha homenagem a todas as mães brasileiras pela passagem dessa data tão significativa.


Por: Antonio Bulhões
Deputado Federal / PRB-SP



Nenhum comentário:

Postar um comentário