sexta-feira, 1 de abril de 2016

TEMPOS ANORMAIS

Meus amigos, a história mostra que quando um povo está descrente das instituições que regulam a vida social, abre-se espaço para o surgimento de um líder manipulador.

Se todos os bons homens já morreram, como já disse o Senador Simon, então agora só resta a esperança.


Os bons homens são aqueles que defendem princípios universalmente aceitos e vivem segundo os seus ditames.

Agir conforme esses imperativos não é fácil para o homem comum, mas um homem público, um representante legítimo do povo, tem que vivê-lo cotidianamente como na figura da Mulher do Rei, que não bastava ser honesta, mas era preciso parecer ser.

Não observar esses valores conservadores produz um cinismo na sociedade e uma desculpa para a má conduta. Afinal, porque um qualquer do povo é obrigado a ser honesto e a preservar valores se os grandes não o fazem?

Este é conflito moral que o homem comum deve carregar consigo nestes tempos estranhos.

Vivemos tempos anormais. Antes de termos uma atitude pessimista em relação ao nosso destino, precisamos ter resgatados valores como a família, a igualdade perante a lei e a conduta ética.

“O parlamento, por sua grande representação, precisa refletir honestidade e coerência, pois é sua responsabilidade a condução social do país para a riqueza material e moral”.

Se o homem público não refletir a honestidade e coerência, o seu futuro é a falência. A falência com um dedo apontado. A falência com um olhar para o chão. Triste destino daquele político que não puder olhar nos olhos do eleitor.

Uma sociedade liderada em valores não tem espaço para a inveja, nem para a indolência. A parcela conservadora da sociedade não inveja o rico, mas o tem como exemplo, porque sabe que aquilo alcançado foi fruto do esforço e da competência individual.

A responsabilidade da condução social para a riqueza material e moral é da elite política, principalmente do parlamento por sua grande representação.

Se o parlamento não levantar o rosto e não tiver uma conduta que cada um gostaria de ver no outro, como a população será liderada com segurança?

Precisamos tirar o parlamento de páginas pouco recomendadas dos jornais e levá-lo para os livros de história. Precisamos reviver eticamente os valores há muito conservados pela população.


Por: Antonio Bulhões

Deputado Federal / PRB-SP

Nenhum comentário:

Postar um comentário