segunda-feira, 14 de março de 2016

ENSINO OU EDUCAÇÃO

Meus amigos, se há algum tema com que a unanimidade da população concorda é a Educação. Todos dizem que o Brasil somente vai tornar-se livre das travas do subdesenvolvimento quando tiver um povo educado.

Entretanto, desenvolvimento econômico não traz necessariamente desenvolvimento ético.


“A escola existe para permitir a transmissão de conhecimentos entre as gerações. Tomar conta de crianças e educá-las é responsabilidade dos pais”

Os atuais conteúdos didáticos têm a finalidade de eliminar preconceitos ou alguma outra concepção que não se adeque com os padrões culturais em vigor. A escola deve então superar o conservadorismo de ensinar a técnica científica da matemática, do português e das ciências naturais para também incutir o proselitismo da ideologia sobre a sexualidade, o aborto, etc.

Segundo a professora Olga Pombo, da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, “a escola não foi inventada para educar as crianças; foi inventada para permitir a transmissão de conhecimentos entre as gerações. Hoje a escola serve para tomar conta dos filhos. A escola era um lugar de instrução, de aprendizagem de conhecimentos. As crianças eram educadas na família.

Demasiado controle do estado em questões educacionais é um perigo fatal para a liberdade, pois pode levar a doutrinação.

Professor é aquele que ensina, que introduz o aluno numa área do conhecimento, que organiza o caminho que levará o aluno a aprender o que não sabia. É diferente do educador que vai a sala de aula falar com os seus alunos, conversar sobre os seus comportamentos, a sua vida, para doutrinar.

Antigamente, as disciplinas comportavam matemática, português e ciências, com bastante carga horária nessas matérias básicas. Hoje, os pedagogos modernos incluem nos currículos dos alunos uma série de matérias morais, como a que ensina os alunos do ensino fundamental a ajustarem um preservativo em uma cenoura, que simula um membro sexual masculino.

Tudo isso ainda poderia ser tolerado se a qualidade da educação brasileira figurasse entre as melhores do mundo. Mas é justamente o contrário que ocorre.

Como que o Brasil espera continuar a avançar no ranking do desenvolvimento entre as nações se, ao invés de ensinar aos alunos conhecimentos científicos, permanecer educando-os em valores ideológicos?

Antonio Bulhões
Deputado Federal / PRB-SP

Nenhum comentário:

Postar um comentário