segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

NUTRIÇÃO


Meus amigos, quero refletir sobre nossos hábitos alimentares e sobre a relação deles com a nossa saúde.

Pesquisas apontam que o brasileiro come mal e que a dieta ruim contribui para a maior ocorrência de diversas enfermidades no Brasil.



“Devemos repensar hábitos, de ver o que é possível mudar, e o quanto é possível mudar, para buscar o equilíbrio entre as necessidades reais de urgência e de comodidade que nos impõe a vida moderna.”

Com a urbanização acelerada e os avanços das tecnologias, especialmente a partir do século XX, as pessoas vêm mudando o padrão alimentar e reduzindo a prática de atividade física regular.

Essas mudanças, associadas ao consumo de cigarro e álcool, e também ao estilo de vida cada vez mais estressante, têm contribuído para o surgimento de muitas doenças e para a queda da qualidade de vida, em praticamente todas as partes do mundo.

No Brasil, não tem sido diferente, e um dos desafios que se impõem é garantir a nutrição, ou seja, a boa alimentação, sem dúvida fundamental para a saúde da população.

A uma análise divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) que informa que nove em cada dez brasileiros comem menos frutas, legumes e verduras do que os 400 gramas diários recomendados pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Itens como biscoitos, embutidos, sanduíches, doces, salgados, refrigerantes e sucos com adição de açúcar vêm substituindo as hortaliças, as frutas, os legumes. E o que é mais grave, não há perspectiva de que isso mude, pelo menos em curto e médio prazo.

A dieta ruim, associada à falta de exercícios físicos, ajuda a explicar o crescimento no número de obesos no País e a alta incidência de algumas enfermidades, dentre elas, hipertensão, diabetes, doenças cardiovasculares e alguns tipos de câncer.

Devemos repensar hábitos, de ver o que é possível mudar, e o quanto é possível mudar, para buscar o equilíbrio entre as necessidades reais de urgência e de comodidade que nos impõe a vida moderna.

Que o hambúrguer, a batata frita, o pão, os doces e o refrigerante cedam espaço a velhos e bons hábitos, por exemplo, o preparo da comidinha caseira, com arroz, feijão, legumes e verduras.

Que cuidemos com mais atenção da alimentação das nossas crianças, para que possamos vislumbrar novo horizonte.

Antonio Bulhões
Deputado Federal / PRB-SP

Nenhum comentário:

Postar um comentário