segunda-feira, 28 de julho de 2014

PROFISSIONAIS DO SEXO


Em nome da maioria do povo brasileiro, em nome daqueles que se importam com a moralidade e com a dignidade, quero expressar meu repúdio à legalização da prostituição.

O argumento de que a prostituição é uma profissão como outra qualquer, e que, portanto, faria jus à regulamentação, carteira assinada e Previdência Social, já é um argumento estranho. Mais estranho ainda é requerer para essa atividade aposentadoria especial, com apenas 25 anos de trabalho.


Imagino que o PRONATEC, que oferece cursos de especialização aos desempregados, teria de oferecer cursos de especialização em prostituição, Senhoras e Senhores.

Escolas técnicas profissionalizantes surgiriam em vários Estados, e quem sabe até faculdades dedicadas ao assunto. Qual pai ou mãe se orgulharia de um filho ou filha com essa formação acadêmica?

Legalizar a prostituição não significará apenas aceitar essa prática, mas inclusive estimulá-la.

Em nome dos nossos filhos e netos, defendo trabalharmos em propostas destinadas a tirar as pessoas da prostituição, e não a tratar essa atividade como normal, estimulando, assim, a degradação dos costumes.


Por: Bispo Antonio Bulhões

Data: Segunda, 28 de julho de 2014.

Um comentário:

  1. Bispo, votaria no senhor pelo caráter de Deus, e confirmei isso lendo os seus projetos na câmara e os seus discursos... Parece os meus pensamentos. O senhor tem sido justo e me representa de verdade...conte com meu voto e com minhas orações!!!
    Suelen

    ResponderExcluir