quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

GUARDA COMPARTILHADA

O Congresso Nacional aprovou o projeto de lei que dispõe sobre a aplicação da guarda compartilhada de filhos de pais separados (PLC 117/2013). A maior novidade é o compartilhamento como regra, mesmo que não haja acordo entre pai e mãe.

A essência do conceito da guarda compartilhada é a participação de ambos os pais no processo de desenvolvimento e educação dos filhos. Não significa necessariamente uma divisão equitativa de tempo, mas uma divisão equilibrada, para que haja uma convivência saudável entre pais e filhos. É diferente da guarda alternada, que se caracteriza quando o filho menor reside alternadamente na casa do pai e da mãe, por períodos de tempo que podem ir de dias a meses.


No caso da guarda compartilhada a criança poderá contar com ambos os pais não só no dia a dia, mas na tomada de decisões conjuntas que visam ao seu bem-estar. A entrada em vigor da nova lei poderá incentivar os pais a tomar a dianteira e participar mais da vida dos filhos, não se comportando apenas como visitas.

A participação dos pais é importante. Se eles estavam juntos no casamento, a criança tinha uma convivência rotineira com ambos os pais, não há razão para que essa criança seja privada de um dos pais. A aprovação da guarda compartilhada reflete a preocupação da sociedade em garantir espaço para que o pai também possa exercer seu papel na criação e no desenvolvimento dos filhos.

Por: Bispo Antonio Bulhões
Data: Sexta-feira, 19 de dezembro de 2014.



quinta-feira, 27 de novembro de 2014

O USO DO CELULAR AO VOLANTE

O uso do celular ao volante é considerado, atualmente, a principal causa de distração no trânsito. E, sem dúvida, o número elevado de acidentes nessas circunstâncias tão somente reforça essa tese.

De acordo com uma pesquisa feita nos Estados Unidos, o motorista, quando atende uma ligação, olha uma mensagem de texto ou simplesmente dá atenção ao telefone mesmo no viva-voz, aumenta em 400% a probabilidade de se envolver em um acidente.


É preciso, com efeito, fazer algo mais do que as recentes mudanças no Código de Trânsito Brasileiro. É preciso proceder a uma série de medidas, campanhas intensas e mudanças profundas e definitivas no comportamento dos motoristas.

O Brasil ocupa o 4º lugar em número absoluto de mortes no trânsito, mais de 43 mil em 2013, ficando atrás apenas da China, Índia e Nigéria. Conforme dados do Ministério da Saúde, o trânsito mata cinco pessoas a cada hora.

Constitui, enfim, responsabilidade de todos mudar essa realidade, concorrendo ativamente para reduzir o número de acidentes e mortes no trânsito. Não se trata de papel apenas do governo e dos órgãos e autoridades de trânsito, mas depende, principalmente, da consciência e da mudança de atitude dos próprios motoristas.

Por: Bispo Antonio Bulhões
Data: Sexta-feira, 27 de novembro de 2014.



quarta-feira, 19 de novembro de 2014

REFORÇAR A DIGNIDADE DA PESSOA


A Comissão Especial de Repressão ao Tráfico de Pessoas, onde tive a honra de trabalhar, apresenta um parecer sobre o Projeto de Lei nº 7370 de 2014, cujos dispositivos se prestam a reprimir o tráfico internacional e doméstico de pessoas e propor medidas de proteção às vítimas.

Digo que foi uma honra não porque gostava das histórias que foram relatadas, enquanto existia a Comissão Parlamentar de Inquérito sobre o tráfico de pessoas. A honra que tive foi em ajudar a elaborar propostas para identificar as origens desse mal, as estratégias dos traficantes de pessoas e a dimensão que esse crime alcança no Brasil. Era um conjunto de testemunhos que só mesmo na fé encontrei forças para suportar os relatos da maldade humana.


Constatei que a fraqueza e a falta de esperanças de algumas pessoas são iscas, para que outros seres humanos elaborem as mais sórdidas maneiras de explorarem e escravizarem aqueles infelizes.

A Comissão Especial da Câmara dos Deputados formalizou um Projetos de Lei que reprimissem os desvios criminosos que humilham as pessoas em situação de desamparo. Afinal, temos leis que se preocupam com o tráfico de drogas, por que ainda não tínhamos uma que lidasse com o tráfico de pessoas?

Uma lei que puna com severidade quem trata outros serem humanos como uma mercadoria descartável. Uma lei que reprima a exploração sexual, o trabalho pago somente com comida e a retirada de órgãos humanos para o comércio.

A proposta da Comissão Especial determina que esse tipo de crime seja qualificado como hediondo. Por nada menos deveria ser julgado, porque tais posturas dos agentes causam repulsa por exporem comportamento social tão aviltante.


Por: Bispo Antonio Bulhões
Data: Quarta-feira, 19 de novembro de 2014.



segunda-feira, 10 de novembro de 2014

AMOR, SENTIMENTO OU ATITUDE?


O conceito de amor mais comum está focalizado no sentimento, conforme se diz: “O amor é o sentimento que sentimos quando sentimos um sentimento que nunca sentimos antes”.


O amor verdadeiro, entretanto, não é apenas um sentimento, mas uma conduta demonstrada de modo apropriado. É aquela atitude de buscar o bem do próximo, de colocar o interesse dele acima do nosso.


Por: Bispo Antonio Bulhões
Data: Segunda-feira, 10 de novembro de 2014.



segunda-feira, 27 de outubro de 2014

A NOVA ONDA SE CONSOLIDA


Passadas as eleições, alguns progressistas agora destacam a decepção com o crescimento da onda conservadora. Já preveem que projetos de lei contra os nossos costumes sofrerão um retrocesso.

O nosso Partido soube bem perceber que o pêndulo da tolerância na sociedade tinha chegado a um limite muito elástico. O nosso PRB percebeu que o progressismo estava rompendo os limites da prudência e executou um planejamento para recuperar a proeminência da tradição.

Todos os cristãos agora puseram uma grande responsabilidade sobre nós do Partido Republicano Brasileiro. O nosso partido assume essa representação com orgulho e motivado. Saímos de uma representação de quase dez deputados federais para ultrapassarmos a marca de 20 Republicanos na Câmara dos Deputados.


Mais que dobramos o número de deputados federais. A nossa bancada cresceu 160% em relação à eleição de 2010. Isso significa que a nossa responsabilidade com os valores que prometemos cumprir aumentou muito.

Peço que não considerem ter cumprido a obrigação com os nossos valores permanentes, apenas porque a palavra FIM surgiu, após o último candidato ter sido marcado na urna eletrônica. Esse foi apenas o primeiro passo.

Quero, por fim, agradecer às quase 138 mil pessoas que confiaram os valores e as esperanças em mim, para que, da Câmara dos Deputados, eu possa defender as suas mais sinceras esperanças.

Conquistamos o momento em que os mais fortes princípios que defendemos saíram vitoriosos. E isso não é pouco.

MUITO OBRIGADO.


Por: Bispo Antonio Bulhões

Data: Segunda-feira, 27 de outubro de 2014.

sábado, 25 de outubro de 2014

BONS FRUTOS


Para produzir bons frutos em nossa vida, temos de plantar as sementes certas.




Mesmo a menor semente pode crescer e se transformar em algo grande. E bem depressa podemos começar a ver bons frutos.

Que Deus dê a todos uma vida de estabilidade, vitalidade e produtividade!



Por: Bispo Antonio Bulhões

Data: Sábado, 25 de outubro de 2014.

terça-feira, 7 de outubro de 2014

AGRADECIMENTO.


Queremos agradecer aos 137.939 amigos que possibilitaram nossa reeleição para este terceiro mandato na Câmara dos Deputados.

Cada voto foi importantíssimo, sobretudo porque demonstra a confiança em nós depositada e a aprovação do trabalho desempenhado. Esta convicção do cumprimento do dever, atestado nas urnas, nos motiva a continuar nesta luta.



Reafirmamos o pacto de compromisso com cada eleitor, no sentido de sermos a sua voz e atender suas expectativas na esfera legislativa, primando pela preservação dos princípios morais e éticos que sustentam a família e a sociedade brasileira.

Nesta nova etapa estaremos dedicando, com garra e determinação, mais ainda do nosso tempo e recursos na defesa dos interesses da população do Estado de São Paulo.

Agradecemos o empenho de todos os envolvidos nesse processo.
Muito obrigado, de coração!

Antonio Bulhões
Deputado Federal / PRB-SP


Por: Bispo Antonio Bulhões
Data: Terça, 07 de outubro de 2014. 


sábado, 20 de setembro de 2014

COMPROMISSO COM A FAMÍLIA.


Em todo o meu mandato me posicionei contra as ações governamentais nocivas as famílias.


É muito comum ver que os programas de educação sexual não visam a proteger as nossas crianças dos danos, mas a atraí-las para os danos, como se os preservativos fossem a resposta para todos os problemas.


Por: Bispo Antonio Bulhões

Data: Sábado, 20 de setembro de 2014.

domingo, 7 de setembro de 2014

GOVERNO QUER RETIRAR APOIO ÀS IGREJAS QUE AJUDAM VICIADOS


Tradicionalmente em períodos eleitorais, todos somos bombardeados pela propaganda com propostas de governo que estão no campo do bom senso, como também as que ferem a lógica econômica. Algumas outras ainda não têm o bom-senso e nem a lógica econômica.

Uma delas é a liberação das drogas. Os defensores trazem muitos argumentos favoráveis. Entretanto, não mencionam que os países que há mais tempo as liberaram começam a retornar com a proibição. É um tema polêmico, mas é facilmente constatável pelos noticiários a condição degradante em que vivem os viciados.


A falta de lógica é o fato que, mais cedo ou mais tarde, toda a sociedade terá que pagar pelo tratamento e o sustento do dependente. Isso significa que todos terão que contribuir com mais impostos para sustentar o aumento de despesa que o governo terá com o cuidado aos viciados. A falta de bom-senso dos burocratas está em desconsiderar o sofrimento das famílias, que convivem com um dependente às vezes violento.

“Modernosos”, agora, querem impedir comunidades terapêuticas de utilizar princípios religioso em suas terapias.

Não parou aí o intelectualismo burocrata. O paroxismo da insensibilidade desses modernosos é querer proibir as comunidades terapêuticas, que são mantidas por entidades religiosas, de não mencionar qualquer citação ou princípio religioso na terapia. Acreditam mesmo que as teorias sociais que estudaram são capazes de iluminar todo o caminho percorrido pela civilização. O que não pode ser provado pelos métodos, não serve.

Pode ser muita especulação adivinhar o motivo que os levaram a elaborar a Resolução que veda a religião na recuperação de dependentes. Entretanto, como a maioria das comunidades terapêuticas é organizada por Igrejas Evangélicas, que não romperiam os preceitos cristãos em troca de trinta moedas, o governo produtor de um PIB negativo economizaria os 85 milhões de reais programados para ajudar na contabilidade criativa.

Comunidades terapêuticas religiosas nunca desistirão da missão de serviço ao próximo.

É o mais racional. A tal política pública de evitar a conversão forçada dos internos ao cristianismo seria, na realidade, um véu que cobriria a real intenção: economizar todo o dinheiro possível, porque estamos em recessão.

Os cristãos se medem pelas obras e não só com as palavras. Tenho certeza de que mesmo faltando recursos federais, essas comunidades terapêuticas religiosas continuarão a missão de serviço ao próximo. Não desistirão.

Nós guardamos a máxima conservadora de Edmund Burke: “para que o mal prevaleça, basta que os bons não façam nada”. Fazer nada é o que as comunidades terapêuticas não farão.



Por: Bispo Antonio Bulhões

Data: Domingo, 07 de setembro de 2014.

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

TEMPLO DE SALOMÃO


Quero destacar a recente inauguração do Templo de Salomão, no Estado de São Paulo, evento seguramente marcante na história da Igreja Universal do Reino de Deus.

A grandiosidade da construção impressiona!

Para que tenhamos uma dimensão mais exata desse vasto projeto arquitetônico – caracterizado pelo emprego de tecnologias de ponta –, o Templo de Salomão, considerado um dos maiores do mundo, supera, em área construída, o Santuário de Aparecida e a Catedral Metropolitana de São Paulo, espaços religiosos já reconhecidos internacionalmente pela elevada simbologia que possuem.


Outro aspecto fundamental, relativo à construção, consiste no reduzido impacto ambiental causado.

Erguido com materiais reutilizados, e que também proporcionam o uso mais racional de água e energia, o Templo de Salomão segue as orientações mais modernas vinculadas ao conceito de sustentabilidade.

Seja por sua incrível pujança arquitetônica, seja por seu elevado conteúdo simbólico e religioso, o Templo de Salomão projeta-se, com firme destaque, tanto na história da Igreja Universal do Reino de Deus, quanto na vida da religiosidade nacional em seu conteúdo mais significativo e profundo.

Parabenizo, assim, o Bispo Edir Macedo e todos aqueles que confiaram na força do ideário em torno desse verdadeiro marco de fé, de fraternidade e de inquebrantável esperança.


Por: Bispo Antonio Bulhões

Data: Sexta, 22 de agosto de 2014.

segunda-feira, 28 de julho de 2014

PROFISSIONAIS DO SEXO


Em nome da maioria do povo brasileiro, em nome daqueles que se importam com a moralidade e com a dignidade, quero expressar meu repúdio à legalização da prostituição.

O argumento de que a prostituição é uma profissão como outra qualquer, e que, portanto, faria jus à regulamentação, carteira assinada e Previdência Social, já é um argumento estranho. Mais estranho ainda é requerer para essa atividade aposentadoria especial, com apenas 25 anos de trabalho.


Imagino que o PRONATEC, que oferece cursos de especialização aos desempregados, teria de oferecer cursos de especialização em prostituição, Senhoras e Senhores.

Escolas técnicas profissionalizantes surgiriam em vários Estados, e quem sabe até faculdades dedicadas ao assunto. Qual pai ou mãe se orgulharia de um filho ou filha com essa formação acadêmica?

Legalizar a prostituição não significará apenas aceitar essa prática, mas inclusive estimulá-la.

Em nome dos nossos filhos e netos, defendo trabalharmos em propostas destinadas a tirar as pessoas da prostituição, e não a tratar essa atividade como normal, estimulando, assim, a degradação dos costumes.


Por: Bispo Antonio Bulhões

Data: Segunda, 28 de julho de 2014.

sexta-feira, 11 de julho de 2014

MALTRATOS A ANIMAIS


Meus amigos, desejo manifestar-me sobre dois projetos de lei que apresentei na Câmara dos Deputados.

O primeiro deles, o projeto de Lei nº 6.936/2013, proibindo testes e experimentos em animais, quando relacionados à produção de cosméticos.

Já está amplamente divulgado que testes de medicamentos ou de produtos cosméticos na pele ou nos olhos já podem ser substituídos por métodos que não utilizam animais.

Para avaliar a irritação cutânea, por exemplo, não são mais necessários testes que expõem coelhos ou outras cobaias ao produto. Esses estudos podem ser feitos em pele humana reconstituída, ou seja, tecidos produzidos em laboratório por meio de cultura de células.


O segundo Projeto de Lei de minha autoria vai ainda mais além. O Projeto nº 7.606/2014, propõe proibir a utilização de cães e gatos em atividades de ensino e pesquisa científica.

Minha intenção, com esse projeto, é a preservação desses animais que, se vistos pelos pesquisadores como meras cobaias, tão somente isso, não são vistos da mesma forma pela sociedade brasileira que os têm como verdadeiros membros da família.

É certo que a ciência está a serviço da sociedade. Não se justifica, no entanto, que os animais, em nome da ciência, tenham de ser submetidos a tratamentos cruéis desnecessários. Quando cada um de nós toma consciência do sofrimento a que são submetidos nos laboratórios, também sofremos. Quanto mais próximos estão de nós, como no caso de cães e gatos, maior é esse nosso sofrimento.

Devemos lembrar-nos de que o animal é dotado de sensibilidade, de memória e que sofre sem poder escapar à dor. Eles são providos de emoção, têm medo, sentem saudade dos seus donos, sentem a sensação do abandono, desfrutam de alegrias, têm fome, ficam doentes, querem atenção. Tudo isso comprovado pela própria ciência.

Apesar disso, em muitas pesquisas, esses animais são usados e descartados após sua conclusão, como se não tivessem vida.

A comunidade científica, quando da utilização de animais em seus experimentos, o faz sob o argumento de que a finalidade é a descoberta de vacinas e de remédios para doenças graves. Não discordamos desse pensamento. Entretanto, os preceitos éticos, relacionados ao bem-estar do animal durante todos os estágios das pesquisas, devem ser levados em consideração.

Há que se empreender esforços para a criação de métodos que possam suprir o papel desses animais nos experimentos. Tal empreendimento virá apenas quando a Lei assim obrigar. Estejam os senhores certos disso.


Por: Bispo Antonio Bulhões

Data: Sexta, 11 de julho de 2014.

sábado, 7 de junho de 2014

LEGALIZAÇÃO DO USO DA MACONHA

Estão tentando através do Judiciário (STF) e do Legislativo (Congresso Nacional) a legalização do uso da maconha.

Veja neste vídeo de 3 minutos qual será o meu voto como Deputado Federal e as minhas justificativas.


 Liberação da Maconha


Por: Bispo Antonio Bulhões
Data: Sábado, 07 de junho de 2014.



quarta-feira, 28 de maio de 2014

MANIFESTAÇÕES SEM MÁSCARAS


No ano passado, o Brasil foi sacudido por manifestações de rua que reuniram milhares de cidadãos. Os protestos aconteceram nas principais capitais do País e, em algumas delas, a violência ocupou o lugar das marchas pacíficas em defesa de mais e melhores políticas públicas de transporte, saúde e segurança.

Tomando a preparação para a Copa do Mundo como bode expiatório, multidões tentaram se aproximar das grandes arenas de futebol em dias de jogo, e as polícias as acompanharam de perto, tendo acontecido vários confrontos, que resultaram em feridos de ambos os lados.


Quero chamar a atenção de todos para o fato de que muitos manifestantes, ao fazer uso de máscaras e capuzes, sentiram-se bastante à vontade para agredir a polícia, depredar, danificar e destruir patrimônios público e privado.

Escondidas sob criminoso anonimato, essas pessoas não mediram as consequências de seus atos, pouco importando se suas ações atingiam inocentes, se destoavam da grande maioria dos manifestantes, que buscavam exercer o legítimo e constitucional direito de protestar.

De acordo com o Datafolha, dos entrevistados acerca dos protestos de rua, 56% afirmaram apoiá-las, sendo que 90% deles se posicionaram contrariamente ao uso de máscaras. Emblemático, não?


Quem deseja protestar que o faça de cara limpa, peito aberto e motivações às claras, em benefício de toda a sociedade brasileira e em respeito aos princípios basilares da democracia.


Por: Bispo Antonio Bulhões
Data: Quarta-feira, 28 de maio de 2014.


sexta-feira, 16 de maio de 2014

SEXO É SAGRADO?



A Bíblia mostra o sexo como sagrado somente dentro do casamento; e até mesmo a concepção de vida deve ser santa.


Essa ética, portanto, condena o sexo fora do casamento (fornicação) – o adultério, o estupro, a homossexualidade, a bestialidade, o incesto e a pornografia. Esses padrões foram dados pelo Criador deste universo, o Criador de todos nós.

Quando ignoramos esses padrões, o fazemos para o nosso próprio risco, temporal e eterno.


Por: Bispo Antonio Bulhões
Data: Sexta-feira, 16 de maio de 2014.


sábado, 10 de maio de 2014

O valor de uma mãe é simplesmente inestimável.
Neste 11 de maio quero parabenizar à todas as mães e que Deus as proteja e as abençoe ricamente.

FELIZ DIA DAS MÃES!
  


Por: Bispo Antonio Bulhões

Data: Domingo, 11 de maio de 2014.

sexta-feira, 2 de maio de 2014

A NAÇÃO É UM REFLEXO DA FAMÍLIA


O grande historiador Edward Gibbon deixou claro em sua significante obra  The decline and fall of the Roman Empire  (Declínio e queda do Império Romano), quando disse que, uma das principais razões da desintegração do Império Romano foi a dissolução da família dentro dele.



Não é apenas um aforismo dizermos que a família é o elemento formador da nação.

Como os romanos logo descobriram, a destruição das famílias não era apenas uma questão de assunto particular. A nação é um reflexo do lar.
  

Por: Bispo Antonio Bulhões

Data: Sexta-feira, 02 de maio de 2014.

terça-feira, 29 de abril de 2014

CARTILHA DA PEDOFILIA

Estamos publicando, hoje, a nossa nova cartilha da pedofilia.


Saiba como identificar, evitar e denunciar os crimes de pedofilia.

·         Como age um pedófilo
·         Os cuidados com a internet
·         Como entender e ajudar as vítimas
·         Crimes ligados a pedofilia
·         Como proteger crianças e adolescentes
·         Como denunciar 



Prezados amigos e amigas,

Apesar dos avanços na conquista da garantia dos direitos das crianças e dos adolescentes, como a Declaração Universal dos Direitos da Criança, adotada pela ONU em 1959, a Constituição da República Brasileira, em 1988, e o próprio Estatuto da Criança e do Adolescente, em 1990, ainda presenciamos em nossos dias a violência histórica que insiste em vitimá-las.

Nossas crianças e adolescentes apresentam condição de vulnerabilidade e fragilidade inerentes ao seu estado em formação física e psíquica, razão pela qual é o grupo de pessoas que mais padecem pelo cometimento de atos de violência.

De todas, a violência de caráter sexual é, sem dúvida, a mais degradante.

Em todas as suas formas – abuso, exploração, constrangimento, assédio por adulto ou por meio da internet, etc. – a violência sexual subjuga a vítima a um emaranhado conjunto de relações e sentimentos aos quais ela não está preparada, o que, fatalmente, vai marcá-la para sempre, interferindo negativamente em sua percepção do mundo e em sua relação com as pessoas.

Rechaçar, denunciar e punir com maior vigor os infratores é apenas parte do processo para minimizar e banir este flagelo.

Um melhor entendimento da questão da pedofilia fortalecerá a cooperação entre pais, educadores e agentes sociais, em assegurar que nossas crianças e adolescentes tenham melhor qualidade de vida com plena liberdade, paz e tranquilidade.

Desejamos uma ótima leitura!



Por: Bispo Antonio Bulhões
Data: Terça-feira, 29 de abril de 2014.