segunda-feira, 18 de novembro de 2013

PURA HIPOCRISIA


Uma matéria da Folha de São Paulo informa que quatro prefeituras do interior de São Paulo somam mais de 500 faltas por dia de servidores públicos.

Em Ribeirão Preto 3,4% dos servidores faltam diariamente ao trabalho por problemas de saúde, contra 1,7% dos servidores de São Carlos.

Será que existe algum problema de saúde em Ribeirão que não afeta tanto São Carlos? Pena que não foi informado o absenteísmo dos trabalhadores da iniciativa privada. Se a mesma proporção ocorrer nas empresas, então estaríamos frente a um problema de saúde pública na região. Mas se ocorrer somente no serviço público...

Uma pesquisa, realizada pela Universidade do Espírito Santo sobre as faltas ao serviço por funcionários públicos, informa que o número de faltas aumenta à medida que o servidor tem mais tempo de serviço. Indica também que, quando o servidor ainda está no estágio probatório, o número de faltas é bem menor.

Quando se depara com esses dados, o espírito cético do conservador aflora. Será que as doenças somente surgem quando o funcionário adquire estabilidade no emprego?


Isso nos remete a um ditado popular sobre o acusador ter um dedo apontado para o outro e três para si próprio.

As pessoas, por força do senso comum, acusam todos os políticos de desonestos, mas, ao mesmo tempo, não explicam as faltas ao trabalho.

Nós conservadores sabemos que há coisas que podem ser mudadas. Acreditamos que possamos com insistência mudar o nosso comportamento social. Se a nossa sociedade procurar ser sempre honesta com a conta do restaurante e não faltando sem justificativa ao trabalho, teremos os representantes formados numa nova cultura social.

Quando a honestidade for natural na sociedade e não um comportamento que mereça destaque nos jornais, teremos a maioria dos políticos como legítimos representantes de um povo honesto.

Mas devemos confiar que a parte da população que é honesta pode contar com dignos políticos da confiança delas, porque ela também tem representante.



Por: Bispo Antonio Bulhões
Data: Segunda-feira, 18 de Novembro de 2013.


Nenhum comentário:

Postar um comentário