quarta-feira, 5 de junho de 2013

REPRESENTAÇÃO EVANGÉLICA


A bancada evangélica da Câmara dos Deputados ampliou recentemente a visibilidade ao assumir o controle da Comissão de Direitos Humanos. Mas veja alguns dados que demonstram que ainda há muito o que ser feito.


Embora a bancada tenha mais que duplicado, pois na legislatura anterior éramos 36 e hoje somos 76 deputados (15% dos 513 deputados), nossa representação é menor do que da população que se declarou evangélica no mais recente Censo do IBGE (22,2%).

Mesmo assim, se a bancada evangélica fosse um partido, ela seria o terceiro maior na Câmara Federal (estamos espalhados entre 16 partidos). Temos que superar a questão partidária e denominacional (são 24 igrejas representadas) que nos separam, pois o que nos une é maior do que tudo isso.

LEI ANTI-HOMOFOBIA


Estamos combatendo a forma como querem aprovar o PL 122, pois seríamos criminalizados ao considerarmos a homossexualidade um pecado, ferindo o direito constitucional da liberdade religiosa.

REFORMA DO CÓDIGO PENAL


Diversos itens do Novo Código Penal são vistos com preocupação pela bancada. Os mais polêmicos são: a descriminalização do aborto, a eutanásia, a redução da idade mínima do crime de estupro presumido de 14 para 12 anos e a legalização de casas de prostituição.



Por: Bispo Antonio Bulhões
Data: Quarta, 05 de junho de 2013.
  



Nenhum comentário:

Postar um comentário