quinta-feira, 20 de junho de 2013

CRIME CONTRA A HUMANIDADE


Meus amigos, reforço publicamente, mais uma vez, meu posicionamento contra o aborto, esse crime contra a humanidade, contra a vida, contra a natureza e contra o bom senso.

Alguns defendem o aborto até os três meses de gravidez, argumentando que até esse momento o cérebro e a coluna vertebral ainda não estão conectados, e, portanto, o feto não sentiria dor. Ora, com base nesse argumento seria possível defender a morte de qualquer pessoa, desde que ela fosse anestesiada antes.


Apenas o ser humano interrompe a vida de seu descendente antes mesmo que ele respire pela primeira vez.

O número de abortos diminuiu nas últimas décadas, em função do maior acesso ao planejamento familiar e aos métodos contraceptivos. Mesmo assim, esse crime é cometido cinquenta milhões de vezes por ano, em todo o mundo.

Todo empenho é necessário para deter a cultura da morte, travestida de “autonomia da mulher”. No Brasil, quem derruba uma árvore de pequi ou prende um tatu é preso, mas querem leis apoiando as mulheres que decidem abortar. Isso é um contrassenso. Na Itália, um casal de médicos já defende a legalização do assassinato de bebês recém-nascidos, em nome da suposta “autonomia da mulher”.

É nosso dever agir com a nossa consciência, com a nossa razão, para impedir a completa dissolução da moralidade, e a legalização dos crimes mais hediondos.


Por: Bispo Antonio Bulhões
Data: Sexta, 20 de junho de 2013.



Um comentário:

  1. Bom Dia!!!

    O Brasil quer ser moderno ao contar com políticos que defendem isso ou aquilo.

    Tudo na tentativa de fazer do povo massa de manobra.

    Ainda em nome de uma suposta religiosidade que manipula a seu bel prazer mulheres que não tiveram o mais importante, a educação e por isso são facilmente convencidas a terem seus filhos em péssimas condições com a promessa de ganharem a "Bolsa Família" (cerca de r$ 70,00 por cada criança).
    Qual pessoa em sã consciência acredita que com 70 reais vai dar ao seu filho(a) o melhor?
    Será que estas mulheres não provocaram o aborto tanto quanto aquelas?
    O aborto da consciência, do entendimento, do seu direito de decidir, da educação, da saúde? Enfim do direito de serem pessoas.
    Não estou levantando uma bandeira pelo aborto!!!
    Sou a favor, sim, quando proveniente de abuso sexual ou quando existe o risco eminente a própria criança/a mãe.
    O assunto não se esgota por aqui.
    Envolve, tantas outras situações e circunstâncias.
    Mais vamos em frente!!!
    Elegendo políticos inteligentes!!!
    Que sabe seu verdadeiro papel dentro e fora do plenário.

    ResponderExcluir