sexta-feira, 17 de maio de 2013


PÍLULA DO DIA SEGUINTE


Quero registrar meu protesto contra a decisão de liberar a pílula do dia seguinte para meninas de 15 anos, sem receita médica, tomada pela agência norte-americana que controla o uso de medicamentos, a FDA (Food and Drug Administration).

Minha preocupação é que decisões como essa venham a influenciar negativamente as autoridades brasileiras no sentido de flexibilizar o uso dessa pílula, que tem feitos abortivos.


A verdade é que esse tipo de atitude reforça a tendência de permitir o aborto e passa às mulheres a mensagem de que a interrupção da gravidez é algo corriqueiro, quase tão banal quanto cortar o cabelo ou tratar de uma espinha.

Num mundo que enfrentou e ainda enfrenta uma doença terrível chamada Aids, ninguém, em sã consciência, pode achar razoável dizer para meninas de 15 anos que podem ter uma vida sexual absolutamente livre, porque, em caso de gravidez indesejada, basta tomar um comprimido e tudo será resolvido, de forma indolor e inconsciente.

A promiscuidade sexual nunca foi nem poderá ser vista como uma atitude saudável, nem física nem psicologicamente, sobretudo no caso de uma adolescente.

A liberação indiscriminada da pílula do dia seguinte é um desserviço à saúde pública e por isso deve ser firmemente combatida.


Por: Bispo Antonio Bulhões
Data: Sexta, 17 de Maio de 2013.


Nenhum comentário:

Postar um comentário