sexta-feira, 22 de março de 2013


DIGNIDADE E TRABALHO


Hoje em dia, as mulheres são reconhecidas pelo valor da dignidade do trabalho que empenharam na história da humanidade. É triste saber que na Câmara dos Deputados corre o risco de aprovar uma Lei que regulamenta como profissão a Prostituição.


Não julgo as pessoas pelo comportamento social que pratica. Chamo apenas atenção da contradição que esta Casa pode fazer.

Como podemos legalizar uma norma que vai contra os mais tradicionais ensinamentos morais que foram formados na nossa civilização pelas nossas mães e irmãs?


Se uma pessoa, por sua vontade autônoma, revolve tornar-se uma prostituta, as pessoas não devem atirar a primeira pedra, mas esta Casa não pode referendar formalmente o erro.

É preciso deixar claro que a rejeição do Projeto de Lei não significa negação de qualquer direito da pessoa que se aventura na atividade. É pacífico o reconhecimento que qualquer pessoa tem a dignidade como causa dos direitos sociais.

Ela não precisa de uma carteira de trabalho para ter direito à saúde, à proteção e à aposentadoria. Basta pagar o INSS e no tempo oportuno se aposenta.

É preciso que estejamos atentos a esse Projeto de Lei.



Por: Bispo Antonio Bulhões
Data: Sexta, 22 de Março de 2013.

Nenhum comentário:

Postar um comentário