sexta-feira, 28 de setembro de 2012


MATURIDADE IDEOLÓGICA



Meus caros amigos, o Brasil, ao que tudo indica, entrará numa nova fase do desenvolvimento. O Governo da Presidente Dilma anunciou um plano estratégico para impulsionar a produtividade brasileira.

O que chama atenção é que a estratégia agora está direcionada para as empresas privadas.

Os pessimistas entenderam que ela jogou a toalha para o capital. Os otimistas têm fé que isso é o inicio de uma Revolução Cultural das mentalidades dirigentes do Brasil. Devem pensar estes: algo está mudando no país.


O plano revolucionário demonstra que a desconfiança com o capitalismo está diminuindo em um governo, que outrora responsabilizava o sistema que está aí no Brasil pelo atraso.

A presidente reuniu os pesos pesados do empresariado nacional para saber deles quais os problemas que dificultam os seus negócios. Ouviu que a produtividade brasileira aumentaria substancialmente se o governo aperfeiçoasse a infraestrutura, racionalizasse a carga tributária e desse atenção vigorosa no câmbio.

A presidente parece ter percebido que o Brasil não mais pode ser reconhecido como o país do voo de galinha, que não tem autonomia para ficar muito tempo no ar. Para ter um crescimento sustentável não pode depender apenas de planos governamentais.

Aí está a maturidade ideológica. Entender que a sociedade é uma reunião de pessoas, com as mais diferentes habilidades e gostos, e que mesmo um sábio não é capaz de satisfazer a todos. A Presidente, ao chamar os empresários para ouvir o que poderia fazer para melhorar os seus negócios transmitiu a ideia de um governo colaborador com as diversas iniciativas. Essa é uma compreensão moderna do que seria uma democracia.

Democracia não estaria limitada aos períodos de votação. Democracia alcançaria a liberdade de todos em querer participar da vida da sociedade, seja no desenvolvimento econômico, seja no cultural.


Por: Bispo Antonio Bulhões
Data: terça, 28 de Setembro de 2012 às 15:18

Nenhum comentário:

Postar um comentário