quarta-feira, 21 de março de 2012


SOMOS PESSOAS DIFERENTES



Enquanto namorados ou noivos, procuramos focalizar os traços bons da pessoa com quem estamos nos relacionando. Porém, depois do casamento e com o passar do tempo, nos permitimos enfatizar os aspectos negativos do nosso cônjuge, levando nosso casamento ao nível mais baixo que se possa imaginar.

Precisamos reconhecer que alguns traços piores provavelmente nunca irão mudar muito. Por exemplo, uma pessoa falante pode escolher para casar um tipo quieto. Depois do casamento, o falante pode tentar que seu cônjuge se torne gradativamente um conversador. Mas tal pessoa provavelmente nunca se tornará um falante. Esqueça!



Muitos de nós nos casamos com pessoas por causa de alguns traços que nós mesmos não temos. Depois de casados, nosso trabalho é aprender a apreciar os traços, o temperamento e as características que o outro tem. Se o fizermos, veremos que essas qualidades ajudam a nos tornar pessoas completas.

Cada parceiro tem dons e pontos fortes que contribuem para o casamento, e quanto mais são reconhecidos e respeitados, mais feliz será o casamento. Um casamento se fortalece quando recebe e incentiva as capacidades de duas pessoas.

Temos aprendido que é melhor não com parar nosso casamento com outros. Cada pessoa vem de ambientes diferentes. A meta do casamento não é pensar igual, mas pensar juntos. Ser diferente não significa que um é melhor ou pior do que o outro.

O casamento é um relacionamento complementar. Complementação sugere a fusão de duas pessoas distintas para ambas se tornarem melhores. Quando aceitamos e apreciamos o que o outro é, tornamo-nos pessoas maiores do que jamais seríamos sozinhos.


Por: Bispo Antonio Bulhões
Data: quarta, 21 de Março de 2012 às 18:05


Nenhum comentário:

Postar um comentário