sexta-feira, 16 de março de 2012


COMPLETANDO UM AO OUTRO


Muitos de nós nos casamos com pessoas por causa de alguns traços que nós mesmos não temos. Depois de casados, nosso trabalho é aprender a apreciar os traços, o temperamento e as características que o outro tem. Se o fizermos, veremos que essas qualidades ajudam a nos tornar pessoas completas.

Quanto mais áreas houver em que sintamos respeito e boa receptividade, mais satisfatório será o casamento. A meta do casamento não é pensar igual, mas pensar juntos. Ser diferente não significa que um é melhor ou pior do que o outro.

Em um casamento, a esposa cuida dos serviços da casa. O marido toma conta do talão de cheques. Isto funciona bem por causa dos interesses e aptidões de cada um. O oposto pode ser verdadeiro em outro casamento. Somos mais felizes quando nos capacitamos mutuamente a fazer o que cada qual aprecia e é mais apto para executar. Comparar um casamento com outro, ou pensar que há modelos preferidos, é arruinar os relacionamentos e ignorar as aptidões.

Embora possamos reconhecer nossos dons especiais e diferentes do outro antes e logo depois do casamento, podemos descobrir outros dons e aptidões somente depois de algum tempo juntos.

O fato de marido e esposa olharem as coisas de pontos de vista diferentes pode ser uma grande ajuda, porque isto permite uma perspectiva mais ampla. Quando os cônjuges são capazes de compreender isto, ambos podem fortalecer um ao outro, em vez de entrar em conflito.



Por: Bispo Antonio Bulhões
Data: sexta, 16 de Março de 2012 às 09:20

Um comentário:

  1. Bispo, e verdade se o casamento nao tiver compreençao so vai ter conflito ,esta palavra compreençao e umas das colunas para termos um bom relacionamto ,temos que viver um para o outro ,negar ha vida de solteiro para viver ha de casado e como se uma pessoa quiser servir ha DEUS negar o mundo ha vontade da carne para fazer ha de DEUS ...

    ResponderExcluir