segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

QUEM TEM OUVIDOS OUÇA !

 

Deus nos fala por meio de sua palavra.

O primeiro passo ao ler a Bíblia é pedir a Deus ajuda para compreendê-la. Antes de ler a Bíblia, ore. Não se aproxime das Escrituras procurando suas próprias idéias; busque as de Deus. Leia a Bíblia com oração.

Deus elogia os que meditam nas escrituras noite e dia. Estude a Bíblia um pouco de cada vez. Deus parece enviar mensagens como enviava o maná: uma porção para um dia por vez.

 

Não só necessitamos um tempo regular e uma Bíblia aberta, mas também precisamos de um coração que escuta.

Não esqueça a admoestação de Tiago: "Mas aquele que considera, atentamente, na lei perfeita, lei da liberdade, e nela persevera, não sendo ouvinte negligente, mas operoso praticante, esse será bem-aventurado no que realizar". Tiago 1.25

Sabemos que estamos escutando a Deus quando o que lemos na Bíblia é o que os outros vêem em nossas vidas.


Por: Bispo Antonio Bulhões
Data: segunda, 27 de Fevereiro de 2012 às 12:26

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

MAIS DO QUE UM PAPEL

Apesar das reais dificuldades em encontrar-se o parceiro certo, e de ter que encarar a complexidade de um relacionamento íntimo nestas épocas confusas, nós nos convencemos de que perseguir esse tipo de relação é um esforço compensador.

E há por que ser otimista, acreditar que é perfeitamente possível viver amorosamente na companhia de alguém e, finalmente, chegar até o momento da morte tendo conhecido o modo mais profundo de compartilhamento e plenitude que uma relação estável e feliz pode nos proporcionar.

Embora seja pequena a porcentagem de casais que tenham atingido a autêntica intimidade à qual estamos nos referindo, acreditamos firmemente que ela é acessível a praticamente todas as pessoas.

Além do mais, temos certeza de que você não precisa aferrar-se a algum padrão preconcebido, perdendo sua própria identidade no processo, para atingir a intimidade.

Aliás, a verdade é exatamente o oposto: os relacionamentos mais plenos de significado acontecem quando duas criaturas bem resolvidas se casam.

O pacto entre duas pessoas que se amam e decidem levar a vida a dois deve ser mais do que o que é feito em uma certidão de casamento, deve ser feito dentro dos seus corações e mentes.

Para que uma relação dê certo, só depende do casal.

Por: Bispo Antonio Bulhões
Data: sexta, 24 de Fevereiro de 2012 às 13:22

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

ACEITAÇÃO

Quando você respeita seu parceiro, consegue aceitar mais facilmente seus erros e seu lado negativo.

O sentimento de se sentir aceito pelo que você é torna-se um fator importante no desenvolvimento de qualquer relação. Sentir-se apoiado e compreendido são termos descritivos usados cada vez mais por casais amorosamente comprometidos.


Em sua essência, a qualidade de aceitação a que nos referimos significa uma pessoa se sentir amada pelo que ela é, e não somente por aquilo que ela faz.

Quando o sentimento de aceitação está presente em um relacionamento, os parceiros sentem prazer em estar juntos, sem se preocuparem com eventuais erros que possam cometer, e despreocupados quanto à necessidade de produzir, realizar, ou entreter um ao outro.

Se o amor e o carinho resultam principalmente de condutas transitórias, nunca se pode baixar a defesa e relaxar realmente. Esta vigilância constante é, na realidade, uma forma de pressão, que poderá em pouco tempo fazer com que você evite seu parceiro, a fim de se sentir livre e em paz consigo mesmo.

Esteja sempre pronto a compartilhar com seu cônjuge seus mais profundos sentimentos, suas inseguranças, seus sonhos, suas esperanças, suas dúvidas, seus fracassos e sucessos. Isto faz com que estejamos realmente emocionalmente ligados um ao outro.

Por: Bispo Antonio Bulhões
Data: terça, 21 de Fevereiro de 2012 às 23:00

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

RESPEITO

É difícil imaginar como um relacionamento pode se manter por muito tempo, se não houver respeito e admiração entre os parceiros.

As características pessoais de seu parceiro devem contar com sua sincera aprovação, pois, na falta desta, o relacionamento gradualmente se destruirá. Orgulhar-se de sua profissão, sucesso, bom gosto, talento, moral, coragem, vivacidade, inteligência, faz parte da definição de um amor sadio.


Em todo casamento ou em qualquer relação duradoura, você vai deparar-se com as fraquezas e imperfeições de seu parceiro.

Todos nós temos defeitos, e estes são facilmente intensificados em situações de estresse ou conflito. Imperfeições e fraquezas são também uma grande ameaça quando não compensadas por um significativo sentimento de admiração e respeito.

Quando sentimos essa admiração, nosso próprio crescimento e progresso são ajudados pela influência concreta de nosso parceiro em certas áreas. A admiração que sentimos por uma pessoa aumenta nossa vontade de aprender com ela, e quando aprendemos um com o outro, a relação como um todo se beneficia.

Por: Bispo Antonio Bulhões
Data: sexta, 17 de Fevereiro de 2012 às 11:12

sábado, 11 de fevereiro de 2012

PEC 270

Discordar já discordei muito, mas a atuação do governo ao impedir que votássemos na Câmara a PEC 270, que garante proventos integrais aos servidores públicos aposentados por invalidez permanente e paridade com os servidores da ativa, me fez sentir vergonha de fazer parte da base aliada.



Havia um acordo de líderes para votar a PEC, em segundo turno, garantindo definitivamente um direito mais do que justo aos aposentados por invalidez, pessoas que não podem e não devem esperar. Havia consenso e a certeza de que o projeto seria votado e aprovado, beneficiando milhares de brasileiros. 

No entanto, em um gesto de truculência legislativa e eu diria até arrogância, o governo condicionou a aprovação da PEC à votação do PL 1992 (que cria a previdência complementar para os funcionários públicos), projeto este, por sinal, sobre o qual não há consenso.

Diante dos apelos para submeter a PEC a votação, o governo ficou surdo. Frente à dura realidade desses aposentados, cego.

O PRB tem um compromisso com os cidadãos: o de priorizar os interesses da população frente a qualquer outro. Mesmo que sejam os interesses do governo.

Contra a truculência, vamos falar mais claro. Contra a arrogância, vamos expor nossa insatisfação.

Até que ouçam. Até que enxerguem.

Por: Bispo Antonio Bulhões
Data: sábado, 11 de Fevereiro de 2012 às 16:36



quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

DEIXE DE FAZER O QUE É ERRADO

Quando pensar ou estiver fazendo qualquer coisa que saiba ser contrária ao coração de Deus, pare imediatamente! É só colocar um freio no que estiver fazendo.



Se está envolvido em uma intriga, pare. Se está tendo um mau pensamento, pare. Se houver uma faísca de raiva em seu coração, pare antes de agir. Se usou de alguma palavra dura para com alguém, pare antes que diga outra. Se concordou com algo mas não está em paz sobre tal decisão, pare. Ou se está em uma situação que acabou se tornando em algo que você não esperava, pare e caia fora!

Todo mundo tem experiências como essas; elas acontecem diariamente. E como você responde a elas revela o que está dentro do seu coração.
 
Cessar uma atividade ou avaliar o processo antes que o pecado progrida ainda mais, dirige seu coração de volta a Deus e recoloca você em seu caminho.



Por: Bispo Antonio Bulhões
Data: quarta, 08 de Fevereiro de 2012 às 09:26



sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

COMPANHEIRISMO II


É justo dizer que um relacionamento caracterizado por frequentes e não resolvidas tensões durante o período de namoro está em sérias dificuldades e tem uma grande probabilidade de não sobreviver por muito tempo.

Compartilhar de certos interesses e entusiasmo é o outro ponto forte dentro de uma amizade. É claro que não teremos um relacionamento bem-sucedido simplesmente porque nossos interesses são compatíveis, e, ainda que atividades comuns possam intensificar uma relação, não podem ser, de maneira alguma, consideradas como pré-requisitos.


O que é essencial é que venhamos compartilhar de “alguns” interesses importantes, e se os interesses em comum forem poucos, devemos nos sentir à vontade fazendo separadamente aquilo que desejamos. É podermos passar ótimos momentos juntos, mesmo estando separados.

Realmente, algumas pessoas necessitam ficar certo tempo afastadas. Para elas compartilhar de muitos interesses parece sufocante — uma desagradável limitação à sua liberdade individual. Contudo, quando se encontram, após passar um tempo sozinhos, ficam mais do que satisfeitos com a companhia um do outro.
 

Por: Bispo Antonio Bulhões
Data: sexta, 03 de Fevereiro de 2012 às 11:55