domingo, 29 de janeiro de 2012

COMPANHEIRISMO

Nos relacionamentos mais complexos, o cônjuge é o seu melhor amigo ou, pelo menos, um excelente amigo.

A pessoa com quem você se comprometer será aquela que passará uma grande parte do tempo com você, e, portanto, é necessário pesar muito bem sua habilidade de ser agradável e de se sentirem à vontade na companhia um do outro. A capacidade de conquistar, de se divertir, de trabalhar e relaxar juntos, são fatores importantes que devem ser levados em conta.



Ser bons amigos e companheiros também significa confiar um no outro, tratando-se com interesse e respeito. É comum as pessoas tratarem seu companheiro com mais rispidez e indelicadeza do que tratariam um vizinho, como se o fato de estar juntos lhes conferisse o injusto privilegio de se comportar de maneira desagradável e sem consideração, o que certamente levaria ao fim qualquer outra amizade.

Sentir-se à vontade num relacionamento não lhe dá o direito de ser insensível e desrespeitoso, e se o interesse, consideração e sensibilidade que você espera de um velho e bom amigo não estão presentes na sua relação durante o período de namoro, com o passar do tempo esta situação só tende a piorar.

Se você tem sérios problemas “antes” de assumir um compromisso, eles tenderão a se intensificar mais tarde. É justo dizer que um relacionamento caracterizado por freqüentes e não resolvidas tensões durante o período de namoro está em sérias dificuldades e tem uma grande probabilidade de não sobreviver por muito tempo.

Por: Bispo Antonio Bulhões
Data: domingo, 29 de Janeiro de 2012 às 23:55

Nenhum comentário:

Postar um comentário